Arcos



Publicação detalhada
Artigo: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E DE INDICADORES DE DEPRESSÃO E DOR EM PACIENTES EM TRATAMENTO RADIOTERÁPICO: EFEITO DA TERAPIA EM GRUPO ASSOCIADA - FI

Autor(es): Elisany Graziele de Souza; Samantha Palla Moreno; Thatia Regina Bonfim; Marcelo Branco

 

Atualmente o câncer tem sido alvo de muitas pesquisas devido ao aumento significativo em sua incidência. A própria doença assim como, os efeitos colaterais dos tratamentos, geram consequências na vida destes pacientes, tais como depressão, dor e alteração na qualidade de vida. A terapia em grupo pode ajudar os portadores de câncer a amenizar estas consequências, pois enfatiza tanto o aspecto físico quanto o aspecto psicológico e social destes. Este estudo teve por objetivo investigar o nível de qualidade de vida, de depressão e de dor em pacientes em tratamento radioterápico e o efeito da realização de um protocolo de terapia em grupo associado. A amostra deste estudo foi composta por 15 indivíduos submetidos a tratamento radioterápico na Clínica Memorial LTDA Radioterapia de Poços de Caldas. Os participantes foram avaliados uma única vez, independente do tipo ou período de tratamento, por meio de questionários específicos para os seguintes aspectos: qualidade de vida (FACT-G), nível de depressão (Inventário de Depressão de Beck), e nível de dor (Inventário de Dor de Winsconsin). No período de realização das avaliações deste estudo os indivíduos em tratamento na Clínica Memorial LTDA Radioterapia de Poços de Caldas, puderam realizar três sessões semanais de terapia em grupo, com duração de 50 minutos. Estas sessões eram compostas por: alongamentos musculares de membros superiores, membros inferiores e coluna vertebral; mobilizações ativas livres de membros superiores com bastões, bolas e bambolês; e brincadeiras lúdicas como: desenhar e jogar bingo. Ficava a critério do individuo a participação ou não desta terapia em grupo. Os resultados apontaram uma predominância de indivíduos acima de 50 anos, do gênero masculino, e o tipo mais incidente de câncer neste estudo foi o de próstata (40%). Os pacientes avaliados apresentaram uma boa pontuação no questionário de qualidade de vida (bem estar fisico= 5,2; bem estar social= 21,4; bem estar emocional= 5,8; e bem estar funcional= 22,5), 46,66% apresentaram dor em um nível baixo. Em relação ao nível de depressão, foi observada diferença significante entre os pacientes que realizam terapia em grupo e os que não realizam (p<0,05), especificamente, os pacientes sem terapia em grupo apresentaram depressão leve ou moderada, enquanto que, os pacientes que realizavam esta terapia não apresentaram quadro de depressão. Concluindo, apesar das implicações gerais do câncer na vida das pessoas, os pacientes deste estudo não apresentaram uma qualidade de vida ruim e os níveis de depressão e dor encontrados são baixos. É possível concluir também que os pacientes que realizavam terapia em grupo, apresentavam menor depressão que aqueles que não a realizavam.

Palavras-chave: Câncer. Qualidade de vida. Depressão. Dor. Fisioterapia oncológica. Terapia em grupo.



Local:

Data de publicação no site: 08/04/2013


Link do artigo completo: na PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444