Arcos



Publicação detalhada
Artigo: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DE INDIVÍDUOS SOROPOSITIVOS RESIDENTES EM UMA CASA DE APOIO DE BELO HORIZONTE, MINAS GERAIS - FISIOTERAPIA - COREU

Autor(es): Gabriella Aparecida Moreira Diniz ¹, Jéssica Junia Aparecida Cardoso ¹, Jéssica Oliveira Barros ¹, Júlia Stephanie de Souza Matos ¹, Lorena Ferreira dos Santos Costa¹ , Luísa Moraes Caixeta ¹, Quéren-Hapuque Rebeca Silva ¹, Márcia Braz Rossetti 2

 

Alunas do curso de graduação em Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

2 Professora do curso de graduação em Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Endereço: Avenida Dom José Gaspar, 500. Coração Eucarístico. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

CEP: 30535-901 / E-mail: juliassmatos@hotmail.com .

 

Resumo

Introdução: Indivíduos soropositivos para Síndrome da Imudeficiência Humana (HIV), em situação de vulnerabilidade social, tendem a enfrentar o desamparo e isolamento, muitas vezes pela própria família. Existem, porém, algumas Casas de Apoio com fins filantrópicos, visando assistir pacientes na sua dor e enfrentamento à doença. Alunos do curso de fisioterapia tiveram a oportunidade de desenvolver um projeto acadêmico de cunho clínico, científico e humanitário. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de indivíduos soropositivos residentes na Casa de Apoio Nossa Senhora da Conceição, em Belo Horizonte, MG, comparando os resultados com indivíduos não residentes na Casa de Apoio supracitada e não soropositivos para HIV. Métodos: Estudo transversal (n=50), com avaliação dos escores do Questionário de Qualidade de Vida SF-36. Este instrumento já foi validado para a população brasileira e possui oito domínios. A amostra foi composta de 25 indivíduos soropositivos, residentes da Casa de Apoio de Belo Horizonte (grupo “soropositivo”), além do grupo “controle”, composto por 25 pessoas aleatórias, não soropositivas e não residentes na referida casa, com idade de 17 a 80 anos. Resultados: Em comparação com o grupo controle, o grupo de soropositivos demonstrou menores escores no SF-36, principalmente domínios capacidade funcional (47,6 ± 38,3 x 84,4 ± 21,47), aspecto físico (41,2 ± 45 x 82 ± 33,47), dor (59,5 ± 37 x 74,4 ± 26,32), aspectos sociais (51,63 ± 39,40 x 80,98 ± 25,54) e aspectos emocionais (51,51 ± 47,9 x 81,32 ± 32,04); Estas respostas evidenciam a grande perda de qualidade de vida deste grupo de doentes, que também vivem às margens da sociedade. Conclusão: O Questionário SF-36 se mostrou um instrumento válido e prático para averiguar aspectos clínicos e humanitários. Os dados coletados sugerem a urgente demanda por maior atenção de órgãos públicos, universidades ou organizações não governamentais no sentido de implementar ações conjuntas, de cunho clínico e psicosocial, visando uma sociedade mais justa e mais fraterna.

 

Palavras-chave: AIDS. HIV. Qualidade de vida. Questionário SF-36. Soropositivo.



Local:

Data de publicação no site: 01/09/2012


Link do artigo completo: na PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444