Arcos



Publicação detalhada
Artigo: EFEITOS DA LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA NA OSTEOARTROSE- FISIOTERAPIA - CORAÇÃO EUCARÍSTICO

Autor(es): Michelle da Silva Ferraz1; Monalisa Cristina Neves de Carvalho1; Monalisa Leite Lima Washington Santos1; Angélica Rodrigues Araújo2

 

1Alunos do 10º período do curso de Fisioterapia - PUC – Minas; 2Professora do Departamento de Fisioterapia - PUC – Minas.

 

A osteoartrose é definida como uma insuficiência da cartilagem articular decorrente de fatores mecânicos, genéticos, hormonais, ósseos e metabólicos que acarretam um desequilíbrio entre a degradação e a síntese da cartilagem articular e do osso subcondral. Entre os vários agentes físicos utilizados para o tratamento da osteoartrose, a laserterapia tem-se demonstrado um importante recurso terapêutico. Os benefícios analgésicos e regenerativos induzidos por esse recurso poderiam possibilitar condições mais favoráveis para a reabilitação dos indivíduos com OA, otimizando o ganho de força e função. Este estudo teve como objetivo realizar uma revisão da literatura sobre o papel da laserterapia de baixa potência no tratamento da osteoartrose (OA), a fim de melhor embasar a aplicação clínica dessa modalidade terapêutica. Para a concepção deste estudo, foi realizada uma pesquisa bibliográfica nas bases de dados Bireme, PEDro e PubMed, no período de janeiro a março de 2012. Os critérios de inclusão foram: 1) ensaios clínicos aleatórios, 2) com indivíduos, de ambos os sexos, portadores de OA, 3) que receberam o laser de baixa potência como opção de tratamento, 4) com grupo controle, 5) que avaliaram como desfecho dor ou reparo da cartilagem articular. Os critérios de exclusão foram: 1) estudos experimentais realizados em animais, 2) estudos clínicos não aleatorizados, 3) estudos de caso, 4) estudos sem grupo controle, 5) estudos em que os efeitos do laser não puderam ser determinados isoladamente. Percebeu-se que a laserterapia de baixa potência (LLLT) pode ser benéfica no tratamento da OA, atuando principalmente na diminuição do quadro álgico. Pode-se observar também que a LLLT está diretamente relacionada com a modulação da dor, embora os parâmetros utilizados estivessem voltados para doses excitatórias, o que sugere que os benefícios álgicos produzidos pela luz estejam relacionados não só ao controle direto da dor, mas aos efeitos do laser sobre o reparo tecidual. A LLLT pode ser benéfica no tratamento da OA, atuando principalmente na diminuição do quadro álgico. Sugere-se para aplicação desse recurso em OA o comprimento de onda de 830 - 860 nm, modo de emissão contínuo e fluência de 0.9 a 6 J/cm². Esses parâmetros, entretanto, devem ser investigados em novos estudos experimentais.

 

Palavras-chave: osteoartrose, laserterapia, controle da dor, reparo da cartilagem.



Local:

Data de publicação no site: 01/09/2012


Link do artigo completo: na PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444