Arcos



Publicação detalhada
Artigo: Sistematização da Assistência DE Enfermagem em Hospital Filantrópico do Sul de Minas Gerais - Enfermagem PUC Poços de Caldas

Autor(es): Ana Paula Lopes Lima, Fabrício Paulino Nascimento Silveira, José Guilherme Consolini

 

 Trata-se de um estudo descritivo, prospectivo e exploratório de abordagem quanti-qualitativa que objetiva verificar o conhecimento dos enfermeiros sobre a SAE, identificar e conhecer as dificuldades em sua implementação nos setores onde atuam e as estratégias existentes e/ou utilizadas no sentido de superar as dificuldades apontadas. A pesquisa foi realizada em um hospital filantrópico do sul de Minas Gerais que conta com n=39 (100%) enfermeiros, dentre os quais participaram deste estudo n=17 (43,6%). Para a coleta de dados foi aplicado um questionário contendo três questões abertas. O presente estudo contou com uma população predominantemente feminina (82,35%), com até 30 anos (52,94%), do turno diurno (64,71%), que realizou sua última pós-graduação em 2011 (47,06%), iniciou seu trabalho na instituição entre 2006 e 2010 (58,83%) e realiza função apenas assistencial (47,06%) ou gerencial e assistencial (47,06%). A maioria dos participantes atuava na UTI Neonatal (29,42%). Os resultados da pesquisa mostraram que os enfermeiros acreditam que a SAE contribui para uma melhoria da qualidade e segurança da assistência prestada ao cliente, permite a organização do trabalho do enfermeiro, assegurando sua autonomia dentro da equipe multiprofissional, além de reduzir custos. As principais dificuldades apontadas pelos enfermeiros estavam relacionadas à falta de profissionais frente à alta demanda, sobrecarga de atividades administrativas e assistenciais, à falta de registro de qualidade que viabilize a sequência do PE e à falta de interesse pela atualização profissional e execução inadequada de atividades levando a perda da sequência do PE e consequentemente da qualidade assistencial. Os enfermeiros acreditam que para que a SAE aconteça, a instituição deve contratar mais enfermeiros, investir em treinamentos e que haja melhoria dos registros por parte da equipe de enfermagem e que seja elaborado um novo instrumento que torne viável a realização de todas as etapas do PE. Em relação ao conhecimento, notou-se que os enfermeiros conheciam a configuração da SAE e do PE, contudo mostrou-se necessário investir em educação permanente, principalmente no que diz respeito aos diagnósticos e exame físico. Embora os enfermeiros reconheçam a importância da SAE e do PE, este se torna inexequível, aquele, de difícil implantação em decorrência principalmente do subdimensionamento de pessoal.

 

Palavras chave: Processo de Enfermagem; Qualidade da assistência de enfermagem; Cuidados de enfermagem.



Local:

Data de publicação no site: 19/10/2012


Link do artigo completo: na PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444