Arcos



Publicação detalhada
Artigo: PROFISSIONAIS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO MÓVEL DE URGÊNCIA (SAMU) EXPOSTOS ÀS POSSÍVEIS DOENÇAS OCUPACIONAIS

Autor(es): Pedro Ronaldo José Benelli, Talita Cristiane Petreca, Tatiane Gisele da Silva

 

Estudos mostram que a incidência de doenças ocupacionais entre os profissionais de atendimento de urgência é freqüente devido à constante exposição a agentes biológicos, químicos, excesso de ruídos, desconforto térmico, falta de equipamentos ergonômicos, situações estressantes, manuseio dos objetos pérfurocortantes, entre outros. A pesquisa objetivou investigar a incidência de doenças ocupacionais entre os profissionais do Serviço Móvel de Urgência (SAMU) na cidade de Poços de Caldas, MG, de maneira a correlacioná-los aos aspectos do trabalho que exercem, bem como traçar o seu perfil social. Trata-se de uma pesquisa descritiva, quanti-qualitativa e exploratória, que utilizou o instrumento de aplicação de questionário, entrevistando 45 profissionais das mais diversas áreas do SAMU. A maioria (53,3%) não relatou fadiga muscular ou dores osteomusculares (55,55%) e nem se submeteram a tratamentos cirúrgicos, fisioterápicos ou psicológicos em virtude do trabalho (88,88%). Entre aqueles que a relataram, estes afirmaram sentir os sintomas de dores nas costas (44,44%), nos membros superiores (11,11%), nos membros inferiores (6,66%), além do cansaço mental (57,8%). Apesar de não ter sido constatada a presença de doenças ocupacionais entre a população estudada, sabe-se que esses profissionais estão sujeitos a isto em virtude das tarefas executadas, o que os podem conduzir a se confundirem com os sintomas, já que a maioria (82,22%) declarou não receber orientações de saúde no trabalho.

 

Palavras-chave: Doenças laborais. Estresse laboral. Estresse. Enfermagem.



Local:

Data de publicação no site: 09/10/2012


Link do artigo completo: na PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444