Arcos



Publicação detalhada
Artigo: Etiologia e Tratamento do Autismo no Brasil e nos Estados Unidos: Uma Revisão Sistemática

Autor(es): Cláudia Gonçalves de Carvalho Barros, Patrícia Ribeiro

 

RESUMO

 

Etiologia, sintomatologia e alternativas de tratamento do transtorno autístico têm sido objeto de estudo ao redor do mundo gerando controvérsias. Tanto fatores congênitos quanto adquiridos são apontados como agentes etiológicos; múltiplas intervenções terapêuticas são propostas em razão da complexidade do quadro e baseiam-se em diferentes abordagens: as psicofarmacológicas, as alternativas ou complementares, e as psicoeducacionais. As últimas seguem linhas empíricas, destacando-se a Desenvolvimentista e a Behaviorista.

Questiona-se qual a melhor intervenção terapêutica a ser adotada. A experiência das autoras com o transtorno autístico no Brasil e nos Estados Unidos e a necessária atualização sobre novas publicações relacionadas à etiologia, sintomatologia e tratamento motivaram a realização deste estudo. É objetivo deste saber se Brasil e Estados Unidos propõem teorias etiológicas e linhas de tratamento diferentes.

Para tanto, procedeu-se uma revisão sistemática. Foram escolhidas quatro fontes bibliográficas, sendo duas da área de Fonoaudiologia e duas da área de Psiquiatria, com uma publicação nacional e uma estrangeira cada. Com isso, garantiu-se à amostra representação da produção científica do Brasil e dos Estados Unidos, sob a perspectiva de duas especialidades envolvidas com o transtorno autístico. De acordo com a classificação do Journal Citation Report 2008, a classificação Qualis e a relevância destes para as autoras, os periódicos escolhidos foram: American Journal of Speech-Language Pathology, Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, Journal of Child Psychology and Psychiatry, Revista Brasileira de Psiquiatria.

Foram selecionados 17 artigos, sendo cinco de produção brasileira e doze de produção americana, os quais fizeram menção aos aspectos etiológicos e/ ou terapêuticos (linha empírica, utilização de sistema de comunicação sumplementar e/ ou alternativa, e envolvimento da família).

Os artigos foram classificados sob dois pontos de vista: primeiro, em relação à forma (tipo de artigo, origem da pesquisa e especialidade profissional dos autores) e segundo, em relação ao conteúdo (etiologia e tratamento).

Observou-se que o Brasil produziu menos do que os Estados Unidos. Não foi possível determinar um padrão específico brasileiro ou americano de pesquisa ou intervenção terapêutica. Verificou-se que em ambos os países o fonoaudiólogo é um profissional recomendado, o envolvimento dos pais é relevante no tratamento, as linha Desenvolvimentista Sócio-Pragmática e Behaviorista são alternativas terapêuticas, e diferentes aspectos etiológicos, do tipo congênito e adquirido, foram apontados para o transtorno autístico.

Concluiu-se que fonoaudiólogos brasileiros precisam desenvolver programas terapêuticos, descrevendo passos, materiais e estratégias da intervenção, para que a abordagem brasileira possa ser utilizada por outros profissionais.



Local:

Data de publicação no site: 10/05/2012


Link do artigo completo: cbs.pucminas.br/conteudo/CláudiaBarros2010.doc PDF Document

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444