Arcos



Publicação detalhada
Artigo: Efeito da diabetes mellitus na movimentação dentária ortodôntica

Autor(es): Sarah Marina Guerra Braga

 

Aluna: Sarah Marina Guerra Braga

Orientador: Prof. Dr. Ildeu Andrade Júnior

Co-orientadores: Prof. Mauro Martins Teixeira (UFMG)

Profª. Tarcília Aparecida Silva (UFMG)

Programa de Pós-graduação em Odontologia da PUC Minas

 

RESUMO

Introdução: A movimentação dentária ortodôntica (MDO) é alcançada pela remodelação do osso alveolar em resposta às forças mecânicas, iniciada com sua reabsorção pelos osteoclastos e uma neoformação óssea pelos osteoblastos. A diabetes altera a remodelação óssea, o que sugere que esta doença também afete a MDO. Objetivo: O presente estudo avaliou os mecanismos celulares e moleculares relacionados ao recrutamento e atividade osteoclástica durante a MDO em camundongos diabéticos. Métodos: Foram colocados dispositivos ortodônticos em camundongos C57BL6/J normoglicêmicos (NG) e diabéticos (DB) por indução através de estreptozotocina. Foi realizada análise histomorfométrica do periodonto após 6 e 12 dias da aplicação de forças ortodônticas. A expressão dos mediadores inflamatórios envolvidos na remodelação óssea foi avaliada nos tecidos periodontais utilizando-se Real Time PCR após 12 horas e 3 dias de carga mecânica. Resultados: Os camundongos DB mostraram uma maior MDO que os NG após 6 e 12 dias. O número de osteoclastos TRAP-positivos após 12 dias, assim como a expressão de mRNA de RANKL após 3 dias foi significativamente aumentado nos animais DB. Os níveis de mRNA de CCL2, CCL5 e TNF-α foram também aumentados nos camundongos DB, quando comparados aos NG após 3 dias. Marcadores de atividade osteoblástica (RUNX2, COL-1 e ALP) no ligamento periodontal encontraram-se diminuídos nos DB quando comparados aos NG. Conclusão: A diabetes aumenta a migração e a atividade osteoclástica, ao mesmo tempo em que diminui a diferenciação osteoblástica, o que gera uma maior reabsorção óssea e consequentemente, uma maior MDO.

 

Palavras-chave: Diabetes. Movimentação dentária ortodôntica. Remodelação óssea. Citocinas.

EFFECT OF DIABETES ON ORTHODONTIC TOOTH MOVEMENT IN A MICE MODEL

 

ABSTRACT

 

Orthodontic tooth movement is achieved by the remodeling of alveolar bone in response to mechanical loading. It is initiated by osteoclastic bone resorption and by osteoblastic bone formation. The type 1 diabetes alters bone remodeling, suggesting that this disease might affect orthodontic tooth movement. This study aimed to investigate the cellular and molecular mechanisms related to osteoclast recruitment and activity during orthodontic tooth movement in diabetic (DB) mice. An orthodontic appliance was placed in normoglycemic (NG) and made DB by streptozotocin C57BL6/J mice. Histomorphometric analysis of periodontium was performed after 6 and 12 days of mechanical loading. The expression of some mediators (CCL2, CCL5, TNF-α, RANK, RANKL, MMP13, RUNX2, COL-1, ALP, OCN) involved in bone remodeling was evaluated in periodontal tissues using Real Time PCR after 12 hours and 3 days. The results showed that DB mice exhibited greater amount of tooth movement than NG mice after 6 and 12 days. The number of TRAP-positive osteoclasts after 12 days and the mRNA expression of RANKL after 3 days of ortodontic force were significantly increased in DB mice. Parallel results revealed that mRNA levels of CCL2, CCL5 and TNF-α were also higher in DB mice after 3 days. Meanwhile, osteoblastic markers (RUNX2, COL-1 and ALP) were diminished in DB mice when compared to NG. Altogether, the data suggested that diabetes upregulated osteoclast migration and activity and downregulated osteoblast differentiation, which lead to a greater orthodontic tooth movement.

 

Key-words: Diabetes. Orthodontic tooth movement. Bone remodeling. Cytokines.



Local: Pós-graduação Odontologia - PUC Minas Coração Eucarístico

Data de publicação no site: 10/09/2013

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444