Arcos



Publicação detalhada
Artigo: Alterações dos seios paranasais em exames de tomografia computadorizada multislice solicitadas para avaliação otorrinolaringológica

Autor(es): Pollyanna Moura Rodrigues Carneiro

 

Aluna: Pollyanna Moura Rodrigues Carneiro

Orientador: Prof. Dr. Paulo Eduardo Alencar de Souza

Co-orinetador: Prof. Dr. Flávio Ricardo Manzi

Programa de Pós-graduação em Odontologia da PUC Minas

 

RESUMO

O objetivo desta pesquisa foi determinar a prevalência de variações anatômicas e de processos patológicos nos seios paranasais e no complexo ostiomeatal e verificar a existência de associações entre a presença e localização destas variações anatômicas e a ocorrência dos processos patológicos nessa região, em uma população de um grande centro urbano. Para isso, foram avaliados 1005 exames de tomografia computadorizada de seios paranasais obtidos por técnica multislice (aparelho 64 detectores) com cortes axiais e reconstruções coronais, ambas com 1 e 2 mm de espessura. Foram avaliados pacientes de ambos os sexos, com idades entre 12 e 92 anos, os quais foram encaminhados por médicos otorrinolaringologistas. Nossos resultados mostraram alta prevalência de alterações tomográficas dos seios paranasais, sendo as mais frequentes: desvio septal (80,7%), concha bolhosa (35,1%), células de Haller (9,6%) e bolha etmoidal (3,3%). Entre os processos patológicos, o espessamento mucoperiosteal associado aos processos inflamatórios agudos e crônicos dos seios paranasais, promovendo, às vezes, obstrução das vias de drenagem do complexo ostiomeatal, além das sinusopatias (agudas e crônicas), foram os mais frequentes. Sinusite odontogênica, sinusite fúngica, osteomas, rinopatias e displasia fibrosa também foram encontrados. Em nenhum dos testes de associação realizados, observou-se que as variações anatômicas (alterações do septo nasal, esporão ósseo, concha bolhosa, hipertrofia de cornetos nasais) aumentavam as chances de ocorrência de obstrução da via de drenagem dos seios frontal, etmoidal e maxilar. Por outro lado, foram encontradas fortes associações entre obstrução de via de drenagem e ocorrência de sinusopatia, em todos os seios paranasais. Como a população apresenta alta freqüência de variações anatômicas dos seios paranasais, a incorreta interpretação das imagens do complexo sinonasal pode gerar erros no diagnóstico final, comprometendo o tratamento dos pacientes. Assim, o conhecimento da prevalência e a caracterização das alterações tomográficas dos seios paranasais podem ser úteis para a definição de critérios específicos para um diagnóstico mais confiável, estando o radiologista odontológico apto para o diagnóstico imaginológico dessas alterações tomográficas.

 

Palavras-chave: Seios paranasais. Tomografia computadorizada multislice. Alterações tomográficas. Radiologia odontológica e imaginologia.

ALTERATIONS OF PARANASAL SINUSES IN TESTS OF MULTISLICE COMPUTED TOMOGRAPHY REQUESTED FOR OTORHINOLARINGOLOGYC EVALUATION

 

ABSTRACT

The aim of this study was to evaluate the prevalence of anatomic variations and pathological processes in the paranasal sinuses and the ostiomeatal complex in a population of a large city. Furthermore, association among the presence and localization of anatomic variations and the occurrence of pathological processes was also accessed. Therefore, this study evaluated 1005 CT scans of the sinuses obtained by multislice technique (64 apparatus detectors) with axial and coronal reconstructions, both with 1 and 2 mm thick. Patients of both sexes, aged between 12 and 92 years, who were referred by otolaryngologists were included. Our results showed high prevalence of paranasal sinus CT alterations. The most common were: septal deviation (80.7%), concha bullosa (35.1%), Haller cells (9.6%), and ethmoidal bulla (3, 3%). Among the pathological processes, mucoperiosteal thickening associated with acute and chronic inflammation of the sinuses were the most frequent. Ocasionally, it caused obstruction of drainage ostiomeatal complex, in addition to sinusitis (acute and chronic). Odontogenic sinusitis, fungal sinusitis, osteomas, fibrous dysplasia and nasal diseases were also found. There was no association among anatomical variations (changes in the nasal septum, bone spur, concha bullosa, nasal turbinate hypertrophy) and increased chances of obstruction of drainage of frontal, ethmoid and maxillary sinuses. Association between obstruction of the drainage and the occurrence of sinusitis on all paranasal sinuses were also detected. As the population has a high frequency of anatomical variations of the paranasal sinuses, the incorrect interpretation of the images of the sinonasal complex should cause misdiagnosis, compromising patient care. In conclusion, knowledge of the prevalence and characteristics of paranasal sinus CT alterations should be useful for defining specific diagnosis criteria and the oral and maxillofacial radiologist must recognize these CT image alterations.

 

Key-words: Sinus. Multislice computed tomography. Tomographic. Radiology and dental imaging.



Local: Pós-graduação Odontologia - PUC Minas Coração Eucarístico

Data de publicação no site: 10/09/2013

  Av. Dom José Gaspar, 500 - Coração Eucarístico - Belo Horizonte - MG CEP 30535-901 - Telefone geral: (31)3319-4444